Programa Escola Aberta para a Cidadania

Programa Escola Aberta para a Cidadania

Criado no Rio Grande do Sul em 2003, o Programa Escola Aberta para a Cidadania possui o objetivo de incentivar a abertura, nos finais de semana e feriados, de unidades escolares públicas em área de alto risco de desvio social. Atualmente existem 100 escolas funcionando com o programa Escola Aberta para a Cidadania, mantidas com dinheiro do governo estadual do RS. Além destas 100 escolas do governo estadual, outras 118 escolas também funcionam pelo programa, porém mantidas com recursos do governo federal, através do Escolas Abertas – MEC.

Além de incentivar, o Programa também conta com a responsabilidade de apoiar a abertura das escolas e demais unidades de âmbito escolar público e de fiscalizar as ações executadas, a fim de garantir com que o objetivo da iniciativa esteja sendo cumprido corretamente.

As áreas de vulnerabilidade social são aquelas onde as crianças, adolescentes e jovens possuem contato frequente com situações que possam os levar a outros caminhos. Por isso, a presença das escolas da comunidade também nos finais de semana, podem ocupar a cabeça desses estudantes com coisas que venham a ajudar na criação de um verdadeiro cidadão. O programa permite que as pessoas da comunidade possam ampliar a sua cultura e cidadania para uma melhor compreensão da complexa realidade social, bem como a resolução de problemas individuais e coletivos. O programa proporciona diversas atividades dentro das escolas, a maioria delas são propostas pela própria comunidade e implantadas caso aprovadas pela Equipe de Coordenação Regional.

O assessoramento, acompanhamento e avaliação são realizados em acordo com as condições políticas, físicas, financeiras e pedagógicas definidas pela Equipe de Coordenação Estadual, que é a instância garantidora da unidade estadual e da diversidade regional.

Essa prática pedagógica tem como pressuposto básico a construção do conhecimento partindo do sujeito e de suas relações com o ambiente físico, social e cultural no qual está inserido, buscando a mediação com os conceitos científicos essenciais e a construção das competências para o exercício da cidadania. Este processo incentiva a curiosidade, a criatividade, a visão crítica, o raciocínio, a participação e a cooperação pelo processo educativo de construção da liberdade e responsabilidade, as duas dimensões inerentes do processo de emancipação socio-individual.

Os objetivos do programa são listados abaixo:

  • Diminuir os índices de violência, principalmente, nas comunidades mais carentes; fortalecer o papel da escola como polo irradiador de cultura;
  • Fortalecer as ações políticas e pedagógicas das escolas e das comunidades envolvidas;
  • Aproximar escola e comunidade;
  • Provocar mudanças nas relações da escola com a sociedade;
  • Envolver os jovens na elaboração e na execução do projeto preparando-os para um melhor exercício da cidadania.

Se as escolas da sua comunidade ainda não aderiram ao Programa Escola Aberta, entre em contato com a Coordenação Geral de Ações Educativas por meio dos contatos abaixo. Lembrando que essa é uma iniciativa capaz de mudar o futuro de milhares de brasileiros que necessitam de ajuda para não cair no terrível mundo das drogas e da violência.
Programa Escola Aberta
Coordenação Geral de Ações Educativas Complementares (CGAEC)
Diretoria de Currículos e Educação Integral (DICEI)
Esplanada dos Ministérios – Bloco L – Anexo II – Sala 302/204
CEP: 70047 – 902
Telefone: (61) 2022-9176 / 9182 / 9301
Fax: (61) 2022-9014
E-mail: escolaaberta@mec.gov.br

Caso prefira, procure a prefeitura da sua cidade ou então a Secretaria de Educação e pergunte sobre a implantação do projeto no município. Os diretores e coordenadores das escolas também devem procurar saber e incentivar esse tipo de projeto, assim como os professores e alunos.